segunda-feira, 13 de abril de 2009

" O homem é menor do que sua busca" (Carpinejar)


Estava conversando com Silvinha (prima por parte de mãe/isso porque tenho duas primas chamadas Silvia) sobre minhas incoerências e ela me disse que não valia a pena preocupar-se com isso, pois a vida é uma só e o bom é ser incoerente mesmo e o que importa é experimentar (o discurso dela não está ao pé da letra), mas a essência era essa.


O fato é que vivo como se só tivesse essa vida pra viver, embora eu seja espírita (meio sem futuro, mas sou) e acredito que essa é só mais uma estrada que estou trilhando, dentre tantas outras que já percorri e ainda percorrerei. Não penso muito, faço acontecer. Falo o que me dá na telha, ainda que tenha o costume de colocar mel nas palavras. Na maioria das vezes a faca vai entrar e você nem vai perceber, porém não me pegue em dias de TPM que eu sou curta e grossa.


Chega de falar de mim!Isso não é um diário e eu não tenho mais 15 anos para ficar enchendo os ouvidos, ou melhor, os olhos alheios com tanto “blá-blá-blá”. Quero falar agora de uma poeta que conheci recentemente nas minhas aulas de tópicos da literatura portuguesa. O nome dela é Sophia Andresen, achei extraordinária! Aparece com sua poesia em 1944, mas a sensação que tenho quando a leio é de estar em contato com algo muito moderno. A sua poesia tem uma espécie de aceitação do destino e admiro isso nas pessoas e nas palavras, embora eu seja uma contestadora, aceito os fatos e escolho a margem onde a canoa irá aportar.




Aperitivo de Sophia:


Não creias, Lídia que nenhum estio
Por nós perdido possa regressar
Oferecendo a flor
Que adiámos colher.

Cada dia te é dado uma só vez
E no redondo círculo da noite
Não existe piedade
Para aquele que hesita.

Mais tarde será tarde e já é tarde.
O tempo apaga tudo menos esse
Longo indelével rasto
Que o não vivido deixa.

Não creias na demora em que te medes.
Jamais se detém Kronos cujo passo
Vai sempre mais à frente
Do que o teu próprio passo.







Meu aperitivo:

Distancie-se

Não te prendas pelas loiras tranças
Nem pela canção inebriante e chorosa vinda da torre
A música se dispersa no vento
E a luz do sol que irradia
Será noite devorada pelo tempo

Distancie-se
A voz é de Iara
Fazendo o mar de águas claras
Virar revolto de águas turvas

Distancie-se
Não a olhe nos olhos
Tape os ouvidos
Desvie a rota
Ou aporte junto às conchas, feito pedra que naufraga.

(Juliana Trentini)

4 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. No sentido mais estrito da palavra, eu não canto loas a ti.Longe disso, pois não há necessidade... seus textos e seus aperitivos poéticos falam por si. Só devo confessar que vem se tornando um hábito ler o que escreve e, cada vez que você posta algo novo, me sinto compelido a escrever... algum elogio ao seu talento. Enfim, definitivamente, eu canto loas a ti nesse breve comentário... com o interesse que nunca pare de escrever.

    ResponderExcluir
  3. Ju, viver em constante (ou inconstante, para as mulheres em ativa TPM) incoerência na minha opinião é uma característica inerente do ser humano. ora, acha que o imperativo categórico de kant (que diz "aja de tal maneira que o seu ato se torne uma máxima do comportamento universal", em outras palavras "faça o que gostaria que fizessem com você ou com o mundo") é fácil de ser posto em prática o tempo TODO??? uma pessoa completamente coerente não evolui. é a dicotomia de sentimentos e forças que destaca o próximo passo. E engraçado... já cheguei a ler Sophia Andresen, mas faz muito tempo. Sabe do que me lembrei? Do poema "adiamento" (eu e minha mania de intertextualizar), de Álvaro de Campos. Não vai muito na linha de aceitação do destino, acho que está mais para procrastinação. Tá vendo, a incoerência de me identificar tanto na aceitação como no adiamento não faz de mim algo propriamente banal ou fajuto, faz??? São sentimentos, múltiplos e infinitos, na nossa finitude.

    Ah, já leu um poema em latim (acho que tem no meu blog) sobre o carpe diem e sobre o tempo que nos rouba minutos se não percebermos e vivermos? Depois lê!
    Beijooo! Kika

    ResponderExcluir
  4. Você tem errado menos, hein? Graaaande garota!

    =P

    Olha o chato... hahahaha

    ResponderExcluir